Mielograma – Biópsia de medula óssea

O que é o mielograma?

O Mielograma é um exame de avaliação da medula óssea com o objetivo de analisar a morfologia e produção de células sanguíneas pela medula óssea, para diagnosticar cânceres como leucemia, linfoma e mieloma, que atacam as células sanguíneas.

O exame também detecta afecções específicas da medula, como aplasia de medula ou mielodisplasia, e doenças infecciosas, como a leishmaniose.

Como é feita a biópsia de medula óssea?

O exame é feito com uma anestesia local para que uma agulha seja introduzida no osso do paciente para a realização da aspiração de uma parte da medula óssea, com retirada de um pequeno fragmento de osso. Normalmente, retira-se a parte óssea do quadril.

Após recolher o material, o mesmo é enviado para laboratório para identificação ou não de células malignas que afetam os glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas do sangue.

Os exames consistem na retirada de uma pequena amostra de medula óssea ou fragmento do osso ilíaco (bacia), do esterno (parte superior do peito) ou tíbia (em caso de crianças). É feita uma punção óssea e posterior coleta do material. O exame é feito sob anestesia local, já que implica o uso de uma seringa especial capaz de perfurar o osso. Esse material é analisado em laboratório.

Que tipos de efeitos colaterais pode ter o mielograma?

Pelo fato de ser um procedimento invasivo com agulha e retirada de uma pequena fração de osso, pode haver dores no local da extração por alguns dias após a sua realização.

Também, é preciso estar atento caso haja algum tipo de infecção, alergia ou sangramento no local. Caso isso ocorra, o médico deverá ser consultado para os devidos cuidados.